Kiky

Olá, olá!


Chegámos à minha altura do mês favorita: está na hora de vos apresentar o herói do mês de agosto!


Desde que comecei a criar e apresentar heróis todos os meses que tenho categorizado na minha cabeça que o herói do mês de agosto tem que estar, de alguma maneira, relacionado com a proteção ambiental. Tenho isto mentalizado porque em agosto, por norma, vemos o Mundo incendiar-se (figurativa e literalmente). É um tema que me preocupa e que, muito sinceramente, me enerva. Como tal, acho mesmo mesmo mesmo importante trazer para o centro do palco pessoas que se dedicam a conservar o nosso planeta, das mais variadíssimas formas.


Em 2019 falei-vos sobre o meu Avô (herói Jory), que é uma força da natureza (piadas à parte) e que está há mais de 60 anos a lutar pelas florestas de Portugal. Se alguém lhe dá ouvidos? Tenho a certeza, mas não é nunca o suficiente. No ano passado falei-vos de Wangari Maathai (heroína Wamathy), Prémio Nobel da Paz e uma das mais importantes figuras na conservação ambiental do Quénia e do mundo. Este ano não quis desviar-me deste propósito - e acho que nunca me vou desviar dele, e trago-vos alguém cujo trabalho não invejo (nem pouco mais ou menos), mas que é tão incrivelmente importante.


Apresento-vos a Kiky, apicultora de excelência e grande protetora da flora do nosso planeta. A Kiky é uma criação inspirada na "apicultora do TikTok" (detesto-me por dizer isto assim, mas a verdade é que foi isso que a tornou, de certa forma, numa celebridade): Erika Thompson.


Acho a história da Erika tão sã quanto ela se deixa transparecer - se forem ver os vídeos que vos deixo na lista de links, perceberam o que quero dizer com o tom de voz dela, é a voz menos condescendente e mais agradável de se ouvir de sempre. A heroína sempre gostou de insetos (pessoalmente, não compreendo como, mas aqui estamos), e foi muito por acaso que descobriu a sua paixão por abelhas. Foi a uma aula sobre apicultura, muito casualmente, apenas porque queria saber um bocadinho mais sobre abelhas e os seus comportamentos. Saiu de lá completamente apaixonada, e imediatamente começou a construir a sua própria colmeia no quintal. À medida que o tempo foi passando, as suas colmeias expandiram-se. Tornou-se apicultora a tempo inteiro 5 anos depois de fundar a sua empresa de proteção de abelhas: Texas Beeworks.


O método de como a heroína salva as abelhas é o que mais me fascina no meio de tudo isto. É chamada, por alguém que precisa de ajuda, para remover uma colmeia que se formou num lugar pouco agradável - tanto para seres humanos como para abelhas. Este lugar pode ser uma cave, um grelhador no quintal, um sótão, ou mesmo por baixo do chão (a sério, ela tem um vídeo a remover uma colmeia de debaixo do chão!). Com toda a calma do mundo (e isso sim, posso dizer que invejo), vemos a Erika, sem qualquer proteção, a pegar em dezenas de abelhas COM AS MÃOS, e a transportá-las para uma colmeia de madeira que, quando terminar o seu trabalho, levará para a sua propriedade para que estejam protegidas e possam viver ali. Com o seu olho de lince, consegue identificar a abelha-rainha (e isto confesso que agora até eu tento encontrá-la sempre que ela mostra imagens de abelhas todas juntinhas), coloca-a no que eu diria que é uma mola de plástico transparente e deixa-a na nova colmeia. Esta nova colmeia é, no fundo, uma caixa de madeira com várias molduras dentro, onde a Erika deixa as favas que encontra na colmeia que resgata e as abelhas poderão construir novas para o mel e o nascimento de novas abelhas. É absolutamente maravilhoso. A seguir só tem que esperar (só, como se não demorasse um dia inteiro) que as abelhas sigam a sua rainha e pronto, estão salvas. São levadas para a propriedade da heroína, onde podem fazer o seu trabalho em paz e sobreviver.


Parece fácil, não é?


Foi apenas recentemente que realmente comecei a prestar atenção à importância das abelhas no nosso planeta. Vi, em 2007, como tantas outras crianças, o filme "A História de uma Abelha" da Dreamworks, pelo que tinha noção do quão fundamentais são, mas não foi até há pouco tempo que assentou, finalmente, a ideia de que as abelhas são fundamentais para a preservação da vida. Da vida humana, da vida animal, da vida florestal. Sem as abelhas e o seu trabalho polinizador, não há vida. Sem pólen não há plantas. Sem plantas não há comida nem oxigénio. Sem comida e oxigénio, bom, não há nada. Esta é a razão pela qual quis apresentar-vos a Kiky este ano, e posso dizer-vos que considero a Erika uma das pessoas mais fixes à face da Terra. Sim, leram bem: fixes. Já aprendi imenso com ela, sobre abelhas, e tudo o que tive que fazer foi ver os vídeos que já fez sobre o seu trabalho. É incrível como podemos aprender tanto sem termos que fazer absolutamente nada...


De uma paixão quase acidental nasceu uma missão que assegura, não só, que uma espécie não entre em total extinção, como que o equilíbrio da natureza se mantenha minimamente. A ela (e a todos os apicultores do planeta, que fazem o mesmo), devemos muito. Por causa de pessoas como a Erika, há esperança, e ela inspira-me a continuar a fazer a minha parte e a tomar decisões mais conscientes.


Espero que tenham gostado de conhecer a Kiky e que vão dar uma vista de olhos nos links que vos deixo em baixo! Atenção, se realmente tiverem pavor a abelhas e isso vos deixar num belo novelo de ansiedade, não vão ver - confiem apenas no que vos digo.


Até breve, heróis!


Links úteis:

— Texas Beeworks (website): https://texasbeeworks.com/

— Texas Beeworks (Instagram): https://www.instagram.com/texasbeeworks/

— Colmeia debaixo do chão: https://www.instagram.com/p/CMStanXHBI5/




35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Monty

Miky

Sebby