Rody

Atualizado: 12 de Nov de 2019

_PT


Olá heróis! Conseguem acreditar que já estamos em julho? É que eu não. Este ano está a passar tão rápido... Mas pronto, cá estamos: mais um mês, mais um herói!


Hoje venho apresentar-vos o Rody, um refugiado no mundo da música, que quase depende dela para sobreviver. O Rody defende que a música (seja ela de que género for) é imprescindível para entrarmos em contacto com quem nós somos realmente. E sabem com quem é que o Rody aprendeu isso? Com o herói real que fundamenta a sua existência: o pianista (e escritor) britânico James Rhodes.


A primeira vez que ouvi falar sobre o James foi quando, no ano passado, andava à procura de um livro de memórias para ler (digo isto vezes sem conta, mas adoro esse genre de livros). Deparei-me com uma editora em Espanha que tem livros lindíssimos, o que é meio caminho andado para me captar a atenção (chama-se Blackie Books), e vi que estava lá um com um título que me chamou ("Fugas"). Por conselho do livreiro acabei por o trazer e ainda bem. E não posso dizer que o li; devorei-o mesmo. A maneira como o James utiliza a música clássica para introduzir cada capítulo fascinou-me. Consegue entrelaçar o poder musical de Chopin, Bach, Beethoven (e etc etc) com o que ele experiencia diariamente. No final de cada capítulo não só conseguimos perceber porque é que cada música foi escolhida para cada capítulo, como nos apetece ouvir as músicas todas (ou pelo menos, foi o efeito que causou em mim - e fui ouvi-las). Mas suponho que se estejam a perguntar porque o escolhi para herói do mês de julho... Pois bem, vou contar-vos um pouco sobre a vida do pianista:


O James, quando tinha 13 anos, foi abusado sexualmente por um professor de educação física. O abuso durou 5 anos, e o James demorou 25 a conseguir falar sobre isso. Dá vontade de chorar. Dá vontade de gritar. Existe um livro, cujo processo de concepção é toda uma outra história enervante e frustrante (deixo-vos um artigo escrito pelo James no final do post, se quiserem saber mais sobre isso), chamado "Instrumental" - é publicado pela Alfaguara em Portugal, onde detalhes sobre o abuso e sobre os efeitos físicos e psicológicos que marcam a vida de James estão expostos. Confesso que ainda não tive coragem para ler. O livro que li, que foi escrito a posteriori e é sobre a sensação de estar sozinho no mundo mesmo quando estamos rodeados de milhares de pessoas, o refúgio na música clássica e o processo diário de recuperação de um trauma, contém uma única página que me deixou em lágrimas e com o estômago às voltas, pelo que ando desde então a ganhar coragem para ler o outro.


Apesar de tudo isto, a mensagem que o James defende é o que eu realmente creio ser o que lhe dá estatuto de herói. Ultrapassar um trauma, para mim, já é um feito (vocês sabem), seja de que natureza for, e merece ser aplaudido. Mas é o que se faz com e desse trauma que me inspira a ser melhor e me dá vontade de vos falar destas pessoas.


Falar sobre saúde mental é extremamente importante para o James, e ainda bem. Ele é alguém que continua a lutar pela música clássica, que nela encontra expressão própria, que nela vê refletidos todos os lados da vida, e que a utiliza como mecanismo de sobrevivência. E deixem que vos diga, ouvi-lo tocar piano é de ficar sentado durante horas sem se querer levantar. O James defende também a necessidade de encontrar equilíbrio entre dias bons e dias maus, que o conceito de felicidade é fluído, e que devemos ir à procura dessa felicidade tanto como à de tristeza, amor, raiva, esperança, etc. E ele disse uma coisa, num vídeo cujo link vos vou deixar em baixo, que me tocou: só porque não estamos felizes, não significa que sejamos infelizes. E, sinceramente, podia ficar aqui a falar-vos dele durante horas, mas quero que se interessem e que também descubram coisas vocês mesmos.


Por isso mesmo, deixo-vos por agora, com uma série de links e a clássica ilustração do novo herói na nossa equipa.


Até breve, heróis!




01. James Rhodes no programa da BBC Viewsnighthttps://www.youtube.com/watch?v=k7ogbFvvCq0

02. James Rhodes na TEDxMadrid — https://www.youtube.com/watch?v=QUUFb-1hBtw

03. James Rhodes na TEDxOxford — https://www.youtube.com/watch?v=v9dEgXR1iWE

04. Artigo do James Rhodes no Independent — https://www.independent.co.uk/arts-entertainment/books/features/james-rhodes-how-the-pianists-legal-battle-to-stop-the-injunction-of-his-memoirs-showed-him-how-the-10273617.html




_EN


Hi heroes! Can you believe it’s already July? I can’t. This year is just flying by… But oh well, here we are: one more month, one more hero!


Today I’m here to present Rody to you. He’s a refugee in the musical world, that almost depends on it to survive. Rody defends that music (no matter the genre), is indispensable for us to get in touch with who we really are. And do you know with whom did Rody learn that? With the real-life hero that supports his existence, of course: the British pianist (and writer) James Rhodes.


The first time I heard about James was when, last year, I was looking for memoirs to read (I say this all the time: I love that book genre). I found a publisher in Spain that sells gorgeous books, which is how you get my attention to books most of the time (the publisher is called Blackie Books), and I saw one which title spoke to me (in Spanish it’s called “Fugas”, meaning “Escapes”). By the advice of the bookseller I purchased it, and I’m glad I did. I wish I could say I read it, but it would be more appropriate to say I devoured it. The way James uses classical music to introduce each chapter fascinated me. He can intertwine the musical power of Chops, Bach, Beethoven (and so on) with what he experiences daily. At the end of each chapter, not only can one understand why he chose each song for each chapter, but we also feel an urge to go listen to them (at least that’s what happened to me - and I did listen to them all). But I suppose you’re wondering why I chose him to be July’s hero of the month. Well then, let me tell you a little bit about the pianist’s life:


James, when he was a 13 was sexually abused by a gym teacher. Such abuse lasted for 5 years, but it took James 25 more to be able to speak on the matter. It makes me want to cry. It makes me want to scream. There’s a book, which conception process in just another frustrating and nerve-racking story (I’ll leave you an article written by James at the end of the post in case you want to know more about that), called ‘Instrumental’, where you can find details on the abuse and the physical and psychological effects that scarred James’ life forever. I must confess I hadn’t found the guts to read it yet. The one I read, written after ‘Instrumental’, which is about feeling alone while being surrounded by thousands of people, taking refuge in classical music and the process of overcoming trauma, contains only one entire page on the abuse, and it left me in tears and with my stomach in my mouth. Ever since then I’ve been trying to gather courage to read ‘Instrumental’.


Despite all this, the message that James defends is what I honestly believe makes him a hero. Overcoming trauma is, to me, a deed in itself (you know that), and it deserves to be applauded. But it’s what one does with the trauma (no matter what kind) that inspires me and makes me want to tell you about these people.


Speaking about mental health is extremely important to James, and I’m glad it is. He’s someone that keeps fighting for classical music, that in it finds his self-expression, that in it sees reflected all sides of life and that uses it as a survival mechanism. And let me tell you, listening to him play the piano will make you want to stay sat taking it all in for hours. James also defends the need to find balance between good and bad days, that the concept of happiness is fluid and that we should chase after that happiness just as much as we should chase after sadness, love, anger, hope, etc. He said something, in a video that I’ll link below, that got to me: just because we aren’t happy, it doesn’t mean we’re unhappy. And honestly I could sit here and talk about him for hours but I want you to take interest and discover more about James by yourselves.


So, with that said, I’ll leave you for now, with bunch of links and the classical illustration of the newest member of our team.


Se you soon, heroes!




01. James Rhodes on BBC's show 'Viewsnight' — https://www.youtube.com/watch?v=k7ogbFvvCq0

02. James Rhodes at TEDxMadrid — https://www.youtube.com/watch?v=QUUFb-1hBtw

03. James Rhodes at TEDxOxford — https://www.youtube.com/watch?v=v9dEgXR1iWE

04. James' article on Independent — https://www.independent.co.uk/arts-entertainment/books/features/james-rhodes-how-the-pianists-legal-battle-to-stop-the-injunction-of-his-memoirs-showed-him-how-the-10273617.html



34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Caly

Letra H

Copyright Heróis sem capa © 2021   |   Política de Privacidade & Termos e Condições

Todos os direitos reservados. All rights reserved.

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook