Dey & Nary

Olá, olá, meus queridos heróis!


Chegámos ao último herói do mês de 2021. Não sei como passou tão rápido nem como é que já aqui estamos, mas cá estamos e aqui continuamos!


Já começa a dar vontade de refletir e tirar o balanço final sobre o ano que está a terminar, mas vou deixar isso para a última semana de 2021, porque quem sabe se não acontece algo para dar cabo das contas! Independentemente do que tenha acontecido ou não acontecido (uma lista cuja última coluna acaba sempre por ser maior que a primeira), uma coisa que se mantém constante neste projeto é a vontade de partilhar histórias e heróis convosco. Quando chegamos ao dia 15 de cada mês, estou sempre em pulgas para vos apresentar um novo alguém que me inspira - e que espero que vos venha a inspirar a vocês.


Para rematar bem o ano, este mês quis vir falar-vos daqueles heróis que, ainda que sejam heróis o ano inteiro, em dezembro brilham mais do que em qualquer altura do ano. São aqueles heróis que fazem com que dezembro seja o mês mágico que é - principalmente quando somos crianças. Aqueles heróis que nos põem em primeiro lugar e que não descansam até saberem que estamos ou que vamos ficar bem. Estou a falar das mãe e dos pais que se esforçam que nem loucos para garantir que os seus filhos se sentem queridos, aceites e apoiados. Alguns desses pais, sei eu bem disso porque já conheci uma série deles, exercem mais do que a sua função de progenitores: são cuidadores. Cuidadores informais, digo. Pessoas que lutam, com dentes e garras, para que o futuro dos seus pequenos os abrace e seja o melhor que pode ser. Há até, dentro deste núcleo de heróis, destas mães e destes pais, aqueles que tomam uma decisão que não é mais do que uma explosão de amor puro e verdadeiro. Amor como não se encontra em mais lado nenhum. É nesse sentido que vos trago o par de heróis do mês de dezembro.


Apresento-vos a Dey e o Nary. Um casal apaixonado, que somou 3 à conta do seu amor. Um casal que mostra, dia após dia, que o esforço que fazem pelas suas crianças fará com que um dia se tornem em seres humanos fortes e com bom coração. Estes dois heróis estão aqui devido à existência de um casal da vida real (claro, já sabemos como funciona isto do herói do mês), Andreia e Bernardo Paes de Vasconcellos, que me apareceram um dia nas contas sugeridas do Instagram a falar de uma tatuagem. Estranho, não é?


A fotografia em questão mostra o Bernardo (pai), com os seus dois filhos rapazes, Tomás e Francisco, e todos têm uma linha a percorrer o esterno. O que acontece é que o Tomás, um rapaz super engraçado (posso dizer isto porque já o testemunhei na vida real), teve de ser operado ao coração - algo que assusta qualquer adulto, quanto mais uma criança. Dessa cirurgia ficou uma marca para o resto da vida. Marca essa que o deixou sem o brilho nos olhos que tanto o caracteriza, sem o sorriso matreiro e a vontade de saltar e correr. Ao ver o seu Tomás assim, Bernardo tomou uma decisão que, a meu ver, é dos mais puros atos de amor que joga testemunhei: tatuou uma linha vermelha no centro do peito, no mesmo lugar onde o Tomás tem a sua cicatriz. Esta decisão serve, agora e para sempre, para mostrar ao Tomás que ele nunca estará sozinho. Na fotografia também podemos ver o Francisco, irmão do Tomás, com uma risca desenhada no peito, mostrando também o seu apoio e amor.


Esta fotografia foi o que me levou a “conhecer” a família da Andreia e do Bernardo e, como uma caixa de Pandora ao contrário, abriu-se por isso um portal para o mundo de dois heróis que trabalham arduamente em prol da felicidade dos seus filhos (e da deles, também), e que não vão descansar nunca até saberem que todos estão bem. São também (e isto devia-se valorizar tanto quanto o que disse antes) pessoas que não escondem os maus dias e a dor que por vezes os tenta deitar abaixo. Quando dói, partilham da mesma maneira de que quando estão alegres. Pedem espaço se assim for necessário, e falam quando estiverem prontos para curar. O importante é que, venha o que vier, são uma equipa e passam por tudo como tal: juntos.


Ao entrar no mundo desta família (através da página @tomas_my_special_baby no Instagram), acabei por descobrir que a Andreia, com a ajuda da psicomotricista Filipa Penalva, fundou um Centro de Terapias infantil chamado Desenvolve-T. Não fosse isso suficiente para perceber que o coração da Andreia bate por causas que valem a pena, saber que o fundou porque sempre sentiu falta que o Tomás, que tem Síndrome de Down, tivesse um lugar onde pudesse desenvolver as suas competências, então, podemos ter a certeza. Hoje, o Desenvolve-T tem dois centros, um em Almada e outro em Lisboa, e ajuda dezenas de crianças com necessidades especiais a evoluir e a lutar pela igualdade de oportunidades que merecem ter. Só porque um herói precisa de ajuda não significa que seja menos herói!


A Andreia e o Bernardo estão constantemente a lutar para que os seus três filhos tenham as mesmas oportunidades. Se as crianças são diferentes? São. Se isso é merecedor de discriminação? Não. Se isso é mau? Não, não é. Ser diferente não é ser um bicho papão, e o que é facto é que se consegue testemunhar os frutos da luta destes heróis pela inclusão, e traz calor ao coração!


Este par de heróis é a prova viva de que tanto gestos pequenos (como tatuar uma cicatriz no peito) como gestos maiores (como conseguir ter o Tomás, por exemplo, numa campanha publicitária da Chicco com os irmãos), fazem uma brutal diferença. A uma escala mais pequena ou a uma escala maior, estes gestos sentem-se com intensidade e vão, posso garantir, fazer com que, mais para a frente, os filhos da Andreia e do Bernardo consigam encontrar, dentro de si mesmos, a confiança que precisam para enfrentar as adversidades que vão inevitavelmente encontrar nos seus caminhos. E se isso não é ser um herói, o que é?


Espero que tenham gostado de conhecer este casal que tanto admiro e que demorei a trazer aqui por vergonha de perguntar se podia. Isto de falar diretamente com os meus heróis também me deixa "starstruck" grande parte das vezes!


Chegámos ao fim dos heróis do mês de dezembro, e sinto que acabar o ano com uma homenagem aos heróis que mais nos protegem e mais lutam por nós (e mais mágico tornam o nosso Natal) foi uma boa maneira de rematar com 2021. Venha 2022 e venham, definitivamente, mais histórias!


Até breve, heróis :)





89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Audry